John Milton
(1608-1674)

Nota bibliográfica

John Milton nasceu na Bread Street, Londres, em 9 de dezembro de 1608. “Quando eu ainda era um garoto”, ele escreveu, “meu pai dirigiu-me para o estudo das letras humanas (…). Ele fez que eu fosse instruído em base diária, tanto na escola primária quanto por outros mestres em casa”. Aos dezessete anos ele foi admitido em Cambridge. Seus primeiros anos ali foram obscurecidos por impopularidade e por uma disputa com as autoridades acadêmicas, mas ele trabalhou diligentemente e, na época em que recebeu seu título de Mestre em Artes, em 1632, suas qualidades incomuns lhe haviam granjeado reconhecimento e estima. Em Cambridge ele decidiu abandonar seu plano original de entrar para a Igreja, arrazoando que preferiu “o silêncio inculpe, comprado com servidão e praguejamento, diante do ofício sagrado de falar”.

Christ's College, Cambridge

Chrit’s College, Cambridge, onde Milton estudou de 1625 a 1632.

Os dons literários de Milton ficaram logo evidentes. Na Manhã do Nascimento de Cristo (em tradução livre) foi escrito enquanto o poeta ainda estava em Cambridge. L’Allegro e sua peça companheira, Il Penseroso; duas farsas, Arcades e Comus; e Lycidas, uma elegia para um amigo que se afogou no mar, foram frutos de seis anos de estudo, principalmente dos clássicos, que se seguiram à conclusão de sua carreira acadêmica. Esses anos, vividos calmamente com seu pai em uma pequena vila rural em Buckinghamshire, foram sucedidos por quinze meses de viagens na França e na Itália, onde ele foi amplamente recebido. Ele fez uma visita especial a Galileu, “idoso, prisioneiro da Inquisição por pensar a astronomia de modo diferente dos censores franciscanos e dominicanos.

Mesmo no cenário pastoril de Lycidas havia inquietações inconfundíveis por parte de Milton com o problema da reforma da igreja. Quando, em 1641, isso se tornou uma das questões cruciais na crescente maré da guerra civil, Milton emergiu de sua vida de estudos e ensino. Abdicando de sua poesia pela prosa de militância, ele escorraçou os que favoreciam o episcopado, considerando-os responsáveis pelo aprisionamento do curso da Reforma. Seus ataques foram veiculados numa série de panfletos, tendo sido o mais elaborado desses um tratado intitulado O motivo de a direção da Igreja ter instado contra o prelado (em tradução livre).

Em 1643, quanto tinha 35 anos, Milton se casou com Mary Powell, de 17 anos, filha de uma família aristocrata. Passadas poucas semanas, ela voltou para a casa de sua família e parecia não ter intenção de continuar o casamento. Dois anos depois, porém, ela continuou sua vida de casada. Dessa união nasceram três filhas e um filho que morreu na infância. A própria Mary Powell morreu de parto em 1654.

No mesmo ano em que sua esposa morreu, Milton escreveu seu famoso tratado A Doutrina e Disciplina do Divórcio, Liberado – para o bem de ambos os sexos – do Jugo da Lei Canônica e de outros Erros (em tradução livre), arrazoando que sendo o casamento um “assunto privado”, poderia ser dissolvido em caso de incompatibilidade. Aconteceu de esse tratado incendiário e outro sobre o mesmo assunto terem sido publicados sem uma licença, imediatamente após a promulgação de uma nova portaria que exigia o licenciamento de todas as obras. Consequentemente, foram tomadas ações contra Milton. Sua resposta foi Areopagitica, um Discurso pela Liberdade de Imprensa não Licenciada (em tradução livre), publicado no ano seguinte, sem licença.

Com a queda dos Stuart em 1649, Milton mobilizou suas energias a serviço de Cromwell e da Comunidade. Em resposta ao Eikon Basilike, uma obra de autoria disputada pretendendo ser as últimas reflexões de Charles I, ele escreveu o Eikonoklastes, uma refutação ponto por ponto daquela obra. No mesmo ano foi publicado um panfleto intitulado Posse de Reis e Magistrados, prova de que é legítimo e tem sido assim durante eras, para qualquer um que tenha o poder, chamar para uma prestação de contas um Tirano ou um Rei mau e, depois da devida condenação, depor e executar o réu, caso os Magistrados tenham negligenciado e se negado a fazê-lo (em tradução livre). Isso provavelmente foi determinante na designação de Milton como Secretário Latino para o Conselho de Estado, uma posição que ele ocupou até 1660. O poeta continuou a defender a Comunidade contra os ataques de escritores continentais em uma série de tratados em Latim. Essa controvérsia prevaleceu durante quatro anos com um grau extraordinário de violência e vitupério pessoal; o envolvimento de Milton, desconsiderando advertência médica, causou-lhe a cegueira total.

Voltando-se uma vez mais para os assuntos domésticos, Milton dirigiu sua atenção para a reforma da igreja, defendendo a completa separação da Igreja e do Estado e tolerância mútua entre seitas protestantes. Em 1660, na véspera da Restauração e com plena percepção de que a sua era uma das últimas vozes a se erguerem contra a “readmissão do reinado”, Milton publicou O Caminho Fácil e Pronto para Estabelecer uma Comunidade Livre (em tradução livre) e vários outros panfletos delineando um plano para um parlamento permanente.

O Caminho Fácil e Pronto para Estabelecer uma Comunidade Livre

A Restauração pôs fim à vida pública de Milton e o forçou a se esconder. Não se sabe ao certo porque ele não foi executado junto com outros proeminentes apoiadores da Comunidade. À idade de 52 anos, depois de 19 anos de atividade política turbulenta, ele se voltou para os objetivos estudiosos e literários de sua juventude. A esse último período de sua vida pertencem suas maiores conquistas poéticas: Paraíso Perdido (1667) e sua continuação Paraíso Recuperado (1671), e finalmente, Samson Agonistes (1671). Seus escritos em prosa daqueles últimos anos incluem uma miscelânea de obras eruditas e históricas e a De Doctrina Christiana, a última declaração de sua posição religiosa que, por causa de uma série de atropelos, só foi impressa em 1825.

Subjacente a essa vigorosa atividade literária estava a solidão da vida pessoal de Milton. Totalmente cego na época da morte de Mary Powell, ele viveu em total dependência de suas filhas órfãs de mãe que cresceram com ressentimentos contra ele e que não se importavam com seu conforto e vontades. Essa vida doméstica desolada foi brevemente interrompida em 1656 pelo casamento do poeta com Katharine Woodcock, que morreu de parto menos de um ano mais tarde. Em 1663 ele se casou com Elizabeth Minshull, então com 25 anos. Parece que ela alegrou sua última década, que foi despendida na quietude de seus estudos temperados com música e com a companhia de amigos. Enfraquecido pela gota e por outras mazelas, morreu em 8 de novembro de 1674 e foi enterrado ao lado de seu pai na igreja de St. Giles Cripplegate.


Nota Bibliográfica ao English Minor Poems, Paradise Lost, and Samson Agonistes, reimpressos a partir da Obra Poética de Milton (em tradução livre).
Série Great Books of the Western World
Enciclopeadia Britannica, Inc. (1952) Chicago.

Traduzido por Wisley Vilela (http://Traduz.trd.br)


Publicidade:

Veja alguns dos livros mais vendidos na loja da Amazon

 

Deixe uma resposta